facebook

Como Avaliar a Qualidade da Silagem: Entendendo KPS e o Teste de Peneiras de Penn State

Como Avaliar a Qualidade da Silagem, essa é uma dúvida frequente entre pecuaristas.

Recentemente, um cliente recebeu a seguinte análise da sua silagem de milho, mas ficou em dúvida sobre como interpretar os resultados:

  • KPS: 62,5
  • MS: 35,4%
  • Peneira 1 – 25g: 8,3%
  • Peneira 2 – 186g: 62%
  • Peneira 3 – 89g: 29,7%

Pensando nisso, criamos este conteúdo para ajudar você a entender melhor esses dados e avaliar a qualidade da sua silagem.

O Que é KPS?

O KPS (Kernel Processing Score) mede a eficiência do processamento dos grãos de milho na silagem. Quanto maior o valor do KPS, melhor os grãos foram quebrados, aumentando a digestibilidade e a disponibilidade de nutrientes. Aqui estão os valores de referência:

  • Excelente: >70
  • Bom: 50-70
  • Aceitável: 40-50
  • Baixo: <40

No caso do nosso cliente, um KPS de 62,5 indica um bom processamento dos grãos, o que é desejável para melhorar a eficiência alimentar do rebanho.

Importância da Matéria Seca (MS)

A matéria seca (MS) representa a proporção de matéria seca na silagem. A faixa ideal para a silagem de milho é entre 30% e 35%. Com uma MS de 35,4%, a silagem do cliente está dentro da faixa ideal, garantindo uma boa fermentação e estabilidade do alimento.

Teste de Peneiras de Penn State (PSPS)

O PSPS é usado para avaliar a distribuição do tamanho das partículas na silagem, crucial para a ruminação e a saúde ruminal dos animais. O PSPS utiliza peneiras de diferentes tamanhos para separar a forragem em categorias de partículas:

  • Peneira Superior (19 mm): Retém partículas maiores.
  • Segunda Peneira (8 mm): Retém partículas intermediárias.
  • Terceira Peneira (4 mm): Retém partículas menores.
  • Fundo: Coleta as partículas mais finas.

Os resultados do PSPS do nosso cliente foram:

  • Peneira 1: 8,3%
  • Peneira 2: 62%
  • Peneira 3: 29,7%

Interpretação dos Resultados do PSPS

Os valores de referência para a distribuição de partículas são:

  • Peneira Superior (19 mm): 2-8%
  • Segunda Peneira (8 mm): 30-50%
  • Terceira Peneira (4 mm): 30-50%
  • Fundo: Menos de 20%

Os resultados do cliente mostram que a silagem tem uma boa quantidade de partículas intermediárias (62%), o que é positivo. A quantidade de partículas maiores (8,3%) e menores (29,7%) também está dentro de uma faixa aceitável, garantindo um bom balanceamento para a ruminação.

Tecnologia Krone para Silagem de Alta Qualidade

Na Bouwman, utilizamos as forrageiras autopropelidas da Krone, que possuem a tecnologia mais avançada para a produção de silagem. Elas garantem um corte preciso e um processamento de partículas imbatível, resultando em uma silagem de alta qualidade, ideal para pecuaristas que buscam maximizar a eficiência alimentar e a saúde do seu rebanho.

Conclusão

Avaliar a qualidade da silagem envolve entender tanto o KPS quanto a distribuição de partículas através do teste de peneiras de Penn State. Uma combinação adequada desses fatores garante uma silagem de alta qualidade, promovendo melhor digestibilidade e saúde ruminal para o rebanho.

Se você tiver dúvidas ou precisar de assistência com a interpretação dos resultados da sua silagem, entre em contato com a equipe da Bouwman. Estamos aqui para ajudar você a otimizar a alimentação do seu rebanho com a tecnologia avançada das forrageiras Krone. Nosso WhatsApp é o 42 3233-6310.

 

Krone Lança o Novo Espalhador Vendro C 1340

Krone Lança o Novo Espalhador Vendro C 1340

A Krone apresenta o Vendro C 1340, um espalhador de 12 rotores com 13,34 metros de largura de trabalho, destacando-se pela eficiência e conforto operacional. Equipado com o conceito de rotor OptiTurn, este modelo topo de linha garante adaptação ideal ao solo e recolhimento preciso das culturas.

Por Que Ter Sua Própria Forrageira Autopropelida

Por Que Ter Sua Própria Forrageira Autopropelida

Adquirir uma forrageira autopropelida é uma decisão estratégica que pode transformar a eficiência e a qualidade da produção de silagem em sua fazenda. Mas o que motiva os produtores a fazerem esse investimento significativo? A seguir, exploramos os principais motivos...